Criticando Mekong
Já frequentei muito esse comecinho da Rua Dias Ferreira, onde recentemente abriu o Mekong, bar só de tapas (agora é assim) asiáticas, coisa difícil de encontrar na cidade. Nasci e cresci nesse trecho do Leblon, e bem ao lado do bar Tio Sam, havia um barbeiro, o Brito, que meu pai achava o suprassumo do talento. E cismava de levar minha irmã e eu para cortarmos a franja ali. Era mortal. É que a cadeira do Brito era justo a primeira da loja, praticamente na calçada. Daí, uma vez ao mês, pagava o mico de ver minhas amigas testemunharem aquele papelão. Mas justiça seja feita: nossas franjas eram perfeitas, invejáveis, pareciam cortadas à régua. Brito era um mestre em tesouradas. Contei essa história para o Chico e a Eliana Caruso, meus vizinhos de mesa na agradável noite em que estive no Mekong, que me levou a outra lembrança: a do velho programa de televisão "A Praça da Alegria", em que o comediante Manuel da Nóbrega passava todo o tempo sentado em um banco, encontrando e conversando com os amigos que passavam por ele. O Mekong é meio Praça da Alegria: você fica sentado numa esquina estratégica do Leblon (Dias Ferreira com General Urquiza), só encontrando gente conhecida transitando - que dá uma paradinha para papear. O bar, de 40 lugares enxutos, é da produtora Ana Vance e seu marido, o inglês Mary Byke. O que os dois fizeram ali foi reunir o que curtiam comer quando viviam em Londres, uma mistura de petiscos indianos, thai, vietnamitas e chineses, que são comuns em menus de bares e pubs. Listaram os seus preferidos e a chef Ciça Roxo compôs o menu. Mekong é isso. Como voltei "roliça" das férias, eu me restringi aos pratos leves: o yan na muam , uma salada de manga verde cortada em tiras com broto de feijão, amendoim e coentro (R$ 16); o goi cuon tom , rolinhos de papel de arroz recheados com salada fria de camarão (R$ 16); o muc xao , lulas crocantes levemente apimentadas servidas com legumes salteados (R$ 24), e o melhor dos melhores, o gung hom pha, camarões crocantes, com crosta de coco e coentro (R$ 24). É o da foto. Sugiro uma investida nos drinques. O thai sabai sabai é feito com uma infusão caseira adorável, combinada com limão-siciliano, soda e manjericão (R$ 16). Mas cuidado: a infusão sobe que é um espetáculo. Foi na segunda rodada que o Brito reapareceu...
Mekong