Criticando CT Boucherie
A boucherie dos Troisgros, aberta há três meses, no Leblon, acena com atrações irresistíveis: staff bacanérrimo, carnes especialíssimas (só cortes nobres), ambiente pitoresco e particularmente simpático e, melhor dos melhores, um menu executivo de almoço, de segunda a sexta-feira, a R$ 35. Não é para correr atrás? A formule da CT Boucherie funciona assim: um grelhado (carne ou peixe) e acompanhamentos (seis ou oito tipos) que chegam à mesa em sistema de rodízio, em simpáticas panelas servidas por garçons, que, detalhe, vestem trajes que remetem aos antigos açougueiros parisienses. Um charme a mais entre tantos outros dali. Nas panelas, coisas como purê de maçã com maracujá (jamais comi coisa parecida), de batata-baroa cremoso, fritas estalantes perfumadas com ervas, arroz maluco, ratatouille, farofa de farinha panko amanteigada e vagens al dente com lâminas de amêndoas. Todos espetaculares em sua simplicidade. Tem coisa melhor? Mas, atenção, para ficar no patamar dos R$ 35 é preciso seguir as regras da casa: a carne é o baby beef (e só ele). E o peixe é o do dia. D'accord? Distraídas que estávamos com o vaivém de gente conhecida, beliscando o couvert com baguetes fresquinhas (R$ 12), bebericando um muscadet fresco no pichet (R$ 32) e desfrutando da delícia que é um carpaccio feito com lâminas de melancia (sim), brotos de rúcula e parmiggiano (R$ 26), derrapamos na formule . No lugar do baby beef , pedimos a bisteca. Divina, enorme, grelhada, suculenta... Inesquecível. Mas, na hora da conta, nossa derrapada teve seu preço. E alto: só a peça da carne nos custou R$ 185. E ainda tiveram os pichets , a sobremesa (um picolé de limão-siciliano com farofinha crocante que é qualquer coisa), o couvert... Não, não foi barato. Mas valeu cada centavo. Enquanto isso, na mesa ao lado, a turma fazia a festa com belos baby beefs e seus adoráveis acompanhamentos. Tudo por enxutos R$ 35.
CT Boucherie