Criticando Bazzar
O Bazzar - que, me dei conta dias desses, está fazendo dez anos e foi praticamente a estreia dos garfinhos aí de cima - tem uma peculiaridade que me agrada muitíssimo. Apesar de sua cozinha moderninha e antenada (há uma década já servia tapas e pães caseiros para molhar em extravirgens aromatizados ali), sempre reservou um bom espaço para sabores nossos. E quando falo em sabores nossos, nem me refiro a pupunha, tapioca ou tucupi. Falo de pitadas caipiras mesmo. Exemplo? O creme de milho verde raladinho, com gosto de fazenda, que resiste ao tempo. E a modismos. Talvez por ter o que tem - sem ser uma casa regional, muito menos de cozinha brasileira -, o Bazzar acabou conquistando um lugar sólido no cenário gastronômico carioca. Foi graças à essa mistura bem dosada de sabores e tendências que o restaurante de Cristiana Beltrão chegou aos dez anos sem maiores turbulências. Não só na matriz como também nos três cafés que mantém na Livraria da Travessa do Centro, de Ipanema e do Leblon. Em tempos juninos, por exemplo, rola um climão. Este ano, me esbaldei com o menu de São João, que trazia, entre outras coisas, nhoque de milho verde gratinado com Grana Padano (R$ 36,80) e sorvete regado com uma redução de quentão (R$ 12,50), feito com cachaça artesanal da fazenda da família. Outro trunfo: o cardápio dali é enxuto, prático e esperto. Pouca fome? Minicakes de namorado com banana-da-terra e caldinho quente de leite de coco com curry (R$ 17,90), carpaccio de salmão com coalhada seca, cebola roxa e alcaparras (R$ 23,90) ou risotinho de abóbora com especiarias, muzzarela de búfala e rúcula(R$ 24,40). Dieta? Há saladas mil, como a verde com lascas de Grana Padano, castanha de caju e vinagrete de maracujá (R$ 20,60) ou o trio de tartare com namorado, atum e salmão (R$ 19,80). E se a fome for de anteontem, tem peito de pato grelhado com banana-da-terra, couve frita, cebolas crocantes e panquequinhas de baroa (R$ 39,80), picanha de cordeiro com lentilhas du Puy e purê de batata-doce (R$ 49,80) ou cavaquinha com purê de aipim, alho-poró crocante e amêndoas e avelã (R$ 59,80), Todos, ao longo de dez anos, provados. E os mencionados, devidamente aprovados.
Bazzar