Criticando Banana Jack
Conheci o Banana Jack pelas mãos do meu bom e velho amigo Dudu, que adora a casa. Obviamente, impliquei: "Parece o Outback... E tem chope de banana, "pelamordedeus"!". Eduardo não se fez de rogado: "Os sanduíches são ótimos e você está em boa companhia. Além do mais, quem disse que VOCÊ precisa de MAIS bebida na sua vida?" (As maiúsculas são dele). Diante de argumentos tão inquestionáveis, calei-me e apreciei os (realmente) ótimos sandubas. Ruminei aquela noite por anos. Felizmente, há um mês, o Banana Jack deu um gás em sua carta de drinques, assumindo seu lado "gente grande". Entre as novas atrações, caipivodcas (na faixa dos R$ 10) e drinques como o Jack Sparrow (rum, Drambuie e licor de banana, a R$ 13,50). Ah, sim, o tal chope de banana (R$ 4,90) voltou ao menu, depois de um ano ausente... Os smoothies, como o gorilimão (manga, sucos de maracujá e limão e sorvete de iogurte), podem ser incrementados com vodca, rum ou cachaça (oba!), a R$ 14,50. Mas bom mesmo foi saber que os hambúrgueres recheados continuam no cardápio. O monkey jack classic, com recheio de Catupiry, custa R$ 22,90, ao passo que o shiitake burger vem no pão integral com gergelim e sai por R$ 25,90. Bom, como nem tudo é perfeito, as TVs continuam lá, exibindo esportes. Mas agora o bar - sim, bar! - agrada a gregos e troianos.
Banana Jack