Criticando Bon Vivant Bistrô e Delicatessen
Luciana deu a dica: "Tem uma delicatessen-bistrô incrível no Baixo Botafogo. Você devia ir lá." E acrescentou: "Mas não me escreva sobre o lugar no jornal. Vai ficar insuportável." Ah, Lu... Não se atiça a curiosidade de um jornalista impunemente. Ainda mais de um cara que GOSTA de bar. Sorry, mas hoje eu vou falar sobre o Bon Vivant, aberto em dezembro no endereço onde funcionou o Coisas da Fazenda. Cheguei atrasado e já encontrei meus amigos devidamente "comidos" (e um tanto "bebidos", sói dizer). Antes de eu me sentar, meu amigo tatuado e sensível já foi dizendo que o atendimento era "atencioso", que o chope estava "na temperatura correta" $que os tira-gostos eram "delicados e saborosos". (Eu disse que ele era sensível...) Ponto para ele: a porção de salsichinhas-aperitivo (de porco, páprica e vitela, acompanhadas por mostarda escura e molho de ervas, a R$ 15,90) estava sensacional. Os sanduíches, como o de rosbife na baguete com molho da casa (R$ 12), chegam à mesa cortados e transformados em oito minissanduíches. Delícia. E o chope (R$ 3,90), além de bem tirado, estava geladíssimo. Um tanto, errr... "altos", decidimos pedir Guinness (R$ 19,75, a lata de 440ml. Bêbado fica rico rapidinho). A essa altura, com o atendimento excelente e as delícias que degustamos, o gasto extra nem pesou tanto assim. Apenas contribuiu para tornar a noitada perfeita. (Depois, descobri que o Bon Vivant tem suas origens em Friburgo, onde funciona desde 1994. Nenhuma surpresa: o bistrozinho é coisa de gente que sabe o que está fazendo.)
Bon Vivant Bistrô e Delicatessen