Criticando Ráscal - Casa Shopping
Não sou chegada a shoppings, muito menos de fazer qualquer refeição in loco. Estranho o cenário, o barulho, as sacolas, a rapidez com que tudo acontece... E tem ainda o risco - se rolarem bebes durante os comes - de sair da mesa queimando cartão de crédito pelas lojas. Um perigo. Só considero a possibilidade de comer num mall em caso de fome extrema; de ser pega por algum dilúvio (toc, toc, toc); ou se passar pela porta de Nao Hara (Fashion Mall), Enoteca Fasano (idem), Alessandro & Frederico (Rio Design Leblon) ou Ráscal (qualquer que seja). Nestes casos, entro, como e gosto. Mas passo todo o tempo me perguntado o que eles estão fazendo ali... Semana passada, num giro pelo CasaShopping, pude usufruir plenamente do Ráscal, uma das boas contribuições paulistas ao Rio. A filial da Barra é agradabilíssima: é clara (luz natural), tem vista, tem espaço, não tem barulho e o risco de sair arrematando aparelhos de jantar Limoges é remoto. A rede - e ninguém diz que se trata de uma, já que cada loja tem uma cozinha independente - me surpreende pela qualidade do que serve. Contei 45 opções expostas nas $, entre queijos, frios, saladas, verduras grelhadas, cuscuz, tabule, frutos do mar marinados, carpaccio, o clássico vitello tonnato (rosbife de vitela com molho de atum, alcaparras e parmesão). Tudo de melhor da cozinha mediterrânea, que adoro. E mais pães e toda a sorte de azeites e temperos bacanas. Custa R$ 49,50 - com os pratos frios (onde "estaciono") e mais duas opções de carnes (perna de cordeiro, costela...) e massas. Estas últimas eu não conhecia até aquela tarde, quando, de teste, pedi um pouco do tor$de galinha d'angola. Não pude crer: massa delicada, num molho deliciosamente encorpado e concentrado em sabor (demi glace bem feito). Como eles conseguem essa proeza, não entendo. Daí, o Ráscal me leva para onde não quero ir: ao shopping. E, incrível, por livre e espontânea vontade.
Ráscal - Casa Shopping